A Inteligência Tecnológica é empregue cada vez com maior frequência, alcance e pelos mais variados tipos de utilizadores.
Segundo a experiência da Unidade de Consultoria da Clarke, Modet & Cº México existe, de uma forma geral, a necessidade de promover o conhecimento relativo à Propriedade Intelectual, nomeadamente no que respeita ao conceito e às vantagens que podem advir da Inteligência Tecnológica. No entanto, de acordo com os casos registados por esta unidade, a Inteligência Tecnológica é empregue cada vez com maior frequência, alcance e pelos mais variados tipos de usuários como uma ferramenta útil para a compreensão do ambiente tecnológico e comercial das organizações, os potenciais parceiros, concorrentes e/ou licenciatários.



Esta tendência é suportada pelos seguintes factos:



- Em 2009, registou-se um aumento do número de estudos analíticos baseados em Inteligência Tecnológica em cerca de 70% relativamente aos pedidos em 2006 (ano em que realizou o primeiro estudo), embora no período intercalar não se tenha verificado um crescimento constante. Além disso, existe uma maior proporção de propostas de Inteligência Tecnológica concretizadas em casos reais de análise (mais 20% relativamente a 2007). Isto indica que existe um maior número de usuários que são sensíveis aos benefícios reportados pela Inteligência Tecnológica.



- Os estudos de Inteligência tecnológica que, em 2006 e 2007, consistiam fundamentalmente em vigilâncias tecnológicas (estudos de compilação documental) passaram a ser, a partir de 2008, análises de posicionamento tecnológico (estudos de avaliação de tecnologias específicas e pesquisa de possíveis parceiros ou concorrentes). Esta transição reflecte a passagem entre a simples observação do ambiente tecnológico para o seu estudo e análise concretos com o objectivo de posicionamento e competitividade eficientes nesse ambiente tecnológico. Os sectores onde mais intensamente se verifica esta tendência, são os sectores da química e saúde com 68% e 20% do total de casos, respectivamente.



- A quantidade de estudos de Inteligência Tecnológica elaborados para Universidades ou Centros de Investigação é comparável relativamente à quantidade realizada para empresas privadas (40% e 53%, respectivamente). Este facto denota o interesse dos centros de investigação em desenvolver, licenciar ou transferir tecnologia dando resposta às necessidades concretas da área em estudos e/ou das empresas da área.



Assim, é necessário continuar a promover a utilização da Inteligência Tecnológica junto dos diversos actores tecnológicos. A tendência actual, verificada no México, para a sua maior utilização e por um maior número de usuários, traduz-se na recolha e análise de informação isolada e sua utilização integrada em estratégias tecnológicas e/ou comerciais. O facto de, por exemplo, as universidades solicitarem estudos de análise e posicionamento tecnológicos, indica que as mesmas estão abertas à criação de relações de cooperação com empresas, contribuindo assim para o intercâmbio de conhecimento e desenvolvimento tecnológico e económico do México.