A disponibilidade e oportunidade de acesso a informação em temas específicos como a tecnologia são iguais para todos em todas as áreas específicas de mercado e competência; a diferença se estabelece, quando, de forma organizada e estruturada se realiza a recuperação e análise respectivas.

A Inteligência Competitiva estrutura processos de trabalho para obter informacão estratégica útil na administração de empresas para a tomada de decisões de negócios.

Os administradores  de empresas obtêm um apoio na Inteligência Competitiva, pois, para atuarem estrategicamente exigem como definiu Rumelt e outros (1991) 1_/, uma adequada “definição e seleção de metas de tipos de produtos a oferecer, o plano e a configuração para competir nos mercados, o alcance e diversidade, a estrutura da organização. Os sistemas administrativos e a definição e coordenação do trabalho dentro da organização.

Em resumo, definiu o ambiente competitivo no mercado de interesse; neste caso particular de interesse sobre o campo tecnológico, envolvendo as empresas e Instituições de vocação e desenvolvimento industrial. 

A recuperação de informação, que implica Inteligência Competitiva, conduz, por uma parte, ao conhecimento interno da  empresa en seus objetivos, metas, estrutura organizacional e funcional e recursos em geral,  ao conhecimento externo do ambiente competitivo em seus aspectos sociais, políticos, culturais, econômicos, históricos e, certamente, os tecnológicos.

Com esta informação, procede-se à análise do ambiente, onde se localizam as fortalezas e oportunidades, bem como as debilidades e ameaças  no posicionamento próprio, no tocante a todos os componentes do sistema do mercado competitivo em referência. 

A aplicação de decisões estratégicas se realiza  após obter a panorâmica de posicionamento completa, uma vez que é quando se elegem as melhores opções, que impulsionam as fortalezas e oportunidades de competência, mercado e negócios.

Por sua vez, esta tomada de decisões deve considerar a minimização das debilidades  e das ameaças no ambiente.

O objetivo geral é que a empresa  se coloque na melhor posição possível em seu ambiente e, sob as condições analisadas, conseguirá   a permanência da empresa, ou instituição, dentro do ambiente competitivo, com condições ótimas de produtividade e com a gestão mais eficiente de recursos e aproveitamento de oportunidades e fortalezas.

Outro objetivo a perseguir é conseguir vantagem competitiva da empresa dentro de seu ambiente.

A atualização destes trabalhos de Inteligencia Competitiva deve ser periódica, já que exige o conhecimento do movimento dos fatores dinâmicos do ambiente.  

A periodicidade determina o conhecimento, que se vai adquirindo os analistas, peritos e recuperadores da informação sobre a dinâmica da mudança dos fatores e o nível da influência, que podem ter nas condições do sistema.

Conduzir esta análise ao âmbito tecnológico significa que as fontes informativas relevantes serão as que divulgam invenções, ou desenvolvimentos cientificos.

O estudo analítico em cada  área diferente do conhecimento pode implicar o uso de diferentes indicadores, que medem os aspectos de interesse no posicionamento. 

A Inteligência Competitiva é aplicada em diferentes ramos do conhecimento. Para o âmbito tecnológico, um dos elementos, que proporcionará vantagem competitiva é a inovação.

A análise do ambiente ajudará a reconhecer as áreas de oportunidades para o desenvolvimento  técnico e tecnológico das invenções da empresa, indústria ou Instituição.  

1_/ Rumelt et.al . "Strategic Management and Economics", Strategic Management Journal, 12:5-29 (1991)