Para muitas empresas, a inovação nem sempre é rentável. Investigar compostos que já existem, produzir algo que o mercado já não procura ou desenvolver protótipos que estão nas mãos de outras empresas resulta em muitos casos, em grandes despesas.

A inteligência tecnológica permite às empresas seguir os desenvolvimentos tecnológicos de empresas concorrentes; conhecer os mercados em que se movimenta, quem trabalha para eles e de onde o fazem; determinar a evolução de uma tecnologia de interesse, identificar tecnologias emergentes ou tecnologias que se tornam obsoletas, tecnologias que facilitam o aparecimento de outras, que permitem identificar nichos de mercado, novos actores ou fornecedores que podem tornar-se concorrentes.